sábado, 25 de outubro de 2008

Saliva, suor e sangue

Sim, aqueles olhos ainda me espreitam da escuridão.
Aquele aroma adocicado que preenchia todo o quarto.
As mãos grandes que prendiam meus braços.
A língua grossa que percorria minha carne.
A batida forte do coração em seu peito.
A ânsia, a angústia, a dor, o desespero, o prazer.
Aquela boca que vasculhava incessante o meu corpo.
O peso do peitoral definido pressionado sobre meus seios.
A força do corpo contra o meu.
O calor, o suor, o gemido, a saliva, a lágrima.
A voz rouca em meu ouvido.
Por fim, o mesmo sempre beijo selvagem e forte.
Os dentes arranhando o queixo e as unhas minhas costas.
A fincada cálida em seu ombro esquerdo.
O líquido vermelho grosso agridoce me invadindo.
O branco derramado.
O êxtase da caçada terminada em meus poros.
O exuberante corpo estendido exausto diante de mim.
Logo depois o sol nasceria e eu estaria longe dali.
Sim, aquele corpo me pertencia até que o tempo o tomou pra si.

L. Angelis

3 comentários:

Renne William disse...

Senhoras e Senhores, quizera eu apenas um dia estar por anfitriao deste obscuro e belo lugar chamado alma vampirica, conheço esta alma a muitos seculos e posso lhes afirmar, nao ninguem igual ou comparavel a esta que acaba de escrever sobre vida, morte, vida apos a morte e/ou morte apos a morte...

vida longa a langel, l'angelis ou qualquer outra forma que essa fenix ressurgir.

amo-te!

Squeen disse...

ta carente? risos... fuegoooo! Vivo é muito melhor que morto...

Adriano Siqueira disse...

Olá Shaynara. ou leandra :-)

Adorei seu texto. muito bem atual e perfeitamente bem escrito. Tenho aqui um achado.. ou diria... um reencontro com suas linhas que sempre me trouxeram bastante satisfação!
Quero sempre ver mais trabalhos seus e espero que um dia possamos escrever um texto juntos.
Fica aqui meus agradecimentos por me convidar a conhecer este seu castelo.
bjs
dri, o lord